quinta-feira, 17 de maio de 2018

Apito surdo

Enquanto são pontapeados pela imprensa, pelo poder político, pelas autoridades, pelos rivais da 2C, talvez os adeptos do Sporting tirem uma lição importante de tudo isto.

Foi o julgamento sumário que nos revoltou durante o Apito Dourado. A perseguição cega e sem direito a contraditório, na qual vocês participaram, que condenou o FC Porto e o Norte ainda antes dos tribunais se pronunciarem.

Nenhum adepto lúcido do FC Porto nega o Apito Dourado. Ouvimos as escutas, lemos os autos. Sabemos o que significa fruta e café com leite. Não sofremos de negacionismo e sabemos o que custa ver um presidente que vos deu tudo dar-vos também o que nunca pediram.

Mas isso não significa que a verdade não possa ser maquilhada, adulterada para parecer uma ilha. O bolo da vossa eventual corrupção, tal como o nosso há dez anos, tem ingredientes a mais. E é assim que ele será vendido ao público. Pelos mesmos que não coíbem de mascarar a gravidade do que se passa do outro lado da estrada, os co-autores do apito surdo.

Essa revolta interior para com a diferença de tratamento não é nova para nós. Passámos pelo mesmo. Fomos espezinhados quando só pedíamos que a investigação fosse justa e estendida a todos os suspeitos. Não foi.

2018 ensina-vos uma coisa que nós já aprendemos há uma década. Só há um clube em Portugal cuja maioria dos adeptos prefere comer o hambúrguer sem saber de que ele é feito. Agora, vocês sabem qual é.


Sem comentários :

Enviar um comentário

Comenta com juízo e respeito. Como se estivesses a falar com a tua avó na véspera de Natal.