quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Arte da guerra

Sun Tzu tinha arte nas palavras.

Dizia que o verdadeiro objectivo da guerra é a paz.

Percebia da coisa, o mítico general chinês, caso contrário não teria morrido cinquentão numa época em que a esperança média de vida devia rondar para aí os 30 anos.

Por cá, há quem julgue precisamente o contrário, isto é, cultive a paz como semente do conflito por considerar que só atropelando tudo e todos consegue reinar.

Benfica e Sporting tentaram ir por aí. Trocaram alianças à pressa, com o objectivo de afastar o FC Porto da esfera de influência do futebol nacional.

Mas Benfica e Sporting também sabiam que, deixando de haver um interesse comum, esse matrimónio combinado teria de romper. E que o divórcio não ia ser bonito.

No fundo, o pacto que os dois clubes de Lisboa promoveram há uns meses não foi mais do que o preâmbulo de uma colisão anunciada.

Seria o mesmo que tentar sentar Soares e Cavaco na mesma mesa, forçando uma diplomacia que não duraria até ao aperitivo.

Tanto que bastou um convívio na quinta de uma das comadres para as duas voltarem definitivamente as costas. A paz que era podre decompôs-se e seguiu-se o espectáculo público de que se sabe, com carradas de máquinas de roupa mais encardida que a ficha de jogo da última conquista europeia do Benfica.

Por estes dias, trocam-se tiros pela net. Homem a homem.

“Smithers, release the hounds!”
A frente de combate mais interessante continua a ser entre o Facebook de Bruno de Carvalho e o twitter de João Gabriel, ou Goebbels de Carnide, ou Mr. Burns, se preferirem.

O bicampeão Cosme Damião anda menos concorrido que o Museu do Azulejo. Descobriu-se um buraco maior do que uma trincheira prussiana no número de associados do clube e não há ninguém com coragem para atender chamadas de Munique.

Pior são as garantias bancárias, que estão como os próprios bancos, a esfumar-se. E dava muito jeito desencantar 7,5 milhões de euros sem fazer grande coisa, como aconteceu no FC Porto com Casemiro. É rezar e pode ser que Jesus ajude.

Do outro lado da barricada, nunca o actual treinador do Sporting viveu debaixo de tanto fogo. Sem a benção dos pasquins imperialistas, JJ passou a ser um Exterminador Placável, mais vulnerável dentro e fora de campo. Alguém acredita que foi a primeira vez que o "mestre da táctica" tentou desestabilizar adversários via SMS? A diferença é que agora não há cortinas de ferro.

"Não gostei. Vai sair comunicado."
Já Bruno de Carvalho está menos burro de caralho.
Quando não está a passear no Facebook ou a inebriar-se com as suas performances diárias na Sporting TV, vai lendo as últimas do FC Porto no Dragões Diário. Pelo menos, aprende alguma coisinha. Com os de sempre, claro.

Enquanto os rivais da Segunda Circular se vilipendiam, o FC Porto vai assistindo silenciosamente à novela no sofá.

Ainda bem.

Em nada teremos a ganhar em acicatar este incêndio. Regá-lo com gasolina só irá aumentar a probabilidade de nos queimarmos por tabela. Nem será necessário intervir num fogo que está acabará por se consumir a si próprio.

Por isso, a maior arma do FC Porto no meio de tudo isto é o silêncio. Só assim teremos oportunidade de recolher os despojos desta guerra aberta e de garantir que a cúpula central não volta a mirar o Dragão tão cedo.

Distantes, mas atentos. Foi com esta postura que rompemos poderes estabelecidos e nos fixámos no lugar mais alto do futebol português. É indispensável continuar a observar os desenvolvimentos desta quezília, mas não é menos importante prosseguir à margem da mesma.

Afinal, a arte suprema da guerra "é derrotar o inimigo sem lutar".

Sun Tzu era um homem inteligente.

4 comentários :


  1. @ drax

    uma 'posta de pescad@' tão inteligente como esta não merece uma caixa de comentários vazia de conteúdo antes pelo contrário.
    tal como com a 'tasca do Silva', cada vez me surpreendo pela positiva com este espaço. os meus sinceros 'parabéns!' pelo teu trabalho e pela tua dedicação. e escrevo-o independentemente das tuas muito simpáticas palavras lá no meu estaminé, porque é um elogio merecido :)

    abr@ço forte
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, Miguel. :)

      De certa forma, o blog é mais um caderno de desabafos pessoais sobre o nosso nobre FC Porto, pelo que já fico muito satisfeito de saber que tenho poucos -- mas verdadeiros e extraordinários -- leitores que se dão ao trabalho de ler as minhas prosas pesadas e fastidiosas regularmente. Isso já supera as minhas expectativas.

      Sobre logo: é para ganhar! Tenho em mim uma estranha fé de que vamos ultrapassar este adamastor interno, que é ir jogar à ilha. Pelo menos acredito que a displicência do ano passado fica no Porto.

      Grande abraço, caríssimo.

      Eliminar
  2. Os cães ladram e a caravana passa (ainda que lá de dentro, alguém insista em "ladrar" de volta).

    Gostei da referência, muita classe :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado, meu caro Lápis!

      Abraço.

      Eliminar

Comenta com respeito e juízo. Como se estivesses a falar com a tua avó na véspera de Natal.

Saudações Portistas.